Arquivo da categoria: Sobre Livros e Letras

Série na Caixa Cultural debate a música brasileira vista pela lente de seus biógrafos

Escritores, mediador, perguntas da plateia… À primeira vista, a série “Toca-livros” – que será realizada esta semana, de terça a sexta-feira, às 19h30m, no Teatro de Arena da Caixa Cultural – é um típico ciclo de debates, no caso sobre livros dedicados a personagens da música brasileira. Mas Edison Viana, idealizador e produtor do projeto, prefere defini-lo como um misto de entrevista coletiva e programa de rádio.

– As perguntas podem ser feitas a todo momento. E teremos músicas para ilustrar a conversa – explica Viana.

No primeiro encontro, os convidados são Arthur Dapieve e Carlos Marcelo, autores de obras sobre Renato Russo; na quarta-feira, Marília Barboza fala de seu trabalho sobre Cartola; Ruy Castro aborda seu livro sobre Carmen Miranda, no terceiro debate; Paulo Cesar de Araújo e sua biografia proibida de Roberto Carlos encerram a sequência.

Os encontros serão gravados. O projeto de Viana é transformar o “Toca-livros” em programa de rádio, série de TV e, mais tarde, num documentário sobre a forma como a música brasileira aparece nos livros:

– Fala-se muito sobre discografia da música brasileira e sua filmografia. Mas sua bibliografia é esquecida. Não se parou para pensar nesse conjunto de livros, seus enfoques, os temas abordados.

 Toca-livros: Caixa Cultural RJ – Teatro de Arena. Av. Almirante Barroso, 25 – Centro. Tel.: 2544-4080. De 12 a 15 de maio. Entrada franca (distribuição de senhas no local, a partir das 18h30min)

 Fonte: oglobo.com

Cansei de Ser Fashion

cansei-de-ser-fashion

Seguindo a linha de O Diabo Veste Prada, Cansei de Ser Fashion é um livro de fácil leitura e boas horas de entretenimento.

Apesar de estar longe de ser um livro excelente, a escritora Karen Yampolsky consegue transmitir bem a idéia de que ter personalidade e caráter é fundamental. E, convenhamos que nos dias atuais encontrar pessoas assim está cada vez mais difícil.

O livro conta a história de Jill White, uma menina que cresceu com os pais em uma comunidade hippie e, na escola, foi humilhada pelas típicas garotas bonitas e fúteis. Na faculdade, ela amadurece e percebe que o grande charme é ter personalidade o que favorece seu grande sonho: ter uma revista feminina que fuja dos padrões e valorize os reais atributos das mulheres.

O desenrolar da trama é bastante interessante. Apesar de início parecer a luta entre o bem o mal, que fica bem caracterizado pelos personagens do livro, existem outros fatores ao longo da história que tornam a leitura mais atraente, como drogas, jogos de interesse e gravidez mal sucedida. Não estranharei se esse livro virar um Blockbuster.

Fica então a dica. Se estiver à procura de uma leitura rápida e fácil, certamente Cansei de Ser Fashion é uma boa pedida.

 

André Vianco lança “O Caminho do Poço das Lágrimas”

caminho-do-poco

O Caminho do Poço de Lágrimas, novo livro de André Vianco, já está angariando elogios de leitores de todo país. Além disso, segundo o próprio autor, o livro é uma montanha-russa de sentimentos, um dos livros mais diferentes que já escreveu. E para completar a turnê de lançamento, o autor tem uma agenda cheia nos meses de Novembro e Dezembro onde estará lançando o novo livro.

André Vianco
André Vianco

Para quem não conhece, André Vianco é paulista da cidade de Osasco, ex-redator do departamento de jornalismo da rádio Jovem Pan e tem 14 obras publicadas. Atualmente, além do novo livro “O Caminho do Poço das Lágrimas“, Vianco está trabalhando com uma produtora no projeto do piloto de “A Casa” adaptado para longa-metragem.

 Segue abaixo a lista com as obras do autor:

 Agenda do escritor para o lançamento do novo livro:

Campinas, SP, dia 26 de novembro, livraria Fnac, shopping Dom Pedro. Horário: 19h00 às 21h00.

Sorocaba, SP, dia 29 de novembro, sábado, Shopping Sorocaba, av. Dr. Afonso Vergueiro 766. Horário: 19h00 às 21h00.

Porto Alegre, RS, dia 4 de dezembro, quinta-feira, livraria Fnac, shopping Barra Sul. Horário: 19h00 às 21h00.

Rio de Janeiro, RJ, dia 10 de dezembro, quarta-feira, livraria Fnac, shopping Barra. Horário: 19h00 às 21h00.

O MP3 dos Livros?

e-reader

O grande destaque na maior feira editorial do mundo (“Frankfurter Buchmesse”) não foi o livro. É uma afirmação e tanto essa. Mas é verdade. O grande algoz do evento foi o “E-Reader“, o livro do futuro.

Leves e com capacidade para armazenar centenas ou milhares de livros, os aparelhos andam revolucionando o mundo editorial. A tecnologia avançada dos aparelhos permite uma leitura que não cansa a vista, sem a luz de fundo que é produzida pelos computadores e celulares, e o texto ainda pode ser mostrado em diversos tamanhos.

Segundo a própria organização da feira, os livros “tradicionais” já não são nem maioria na feira, representando apenas 42% de tudo que é exposto. Outros 30% são ocupados por produtos digitais, incluindo e-books e e-readers (ainda em pequena quantidade, por serem novidade na Alemanha), softwares para controlar as etapas de produção editorial e sites para encontrar leitores com gostos parecidos em uma mesma cidade.

Em contra partida, por enquanto, só podem ser vistas imagens em preto e branco e não dá pra ler nada no escuro.

sony_ereader_prs-500O funcionamento dos e-readers é praticamente o mesmo dos aparelhos de MP3: basta plugá-lo no computador via USB e colocar um arquivo de texto na memória interna. Quase todos os aparelhos no mercado, inclusive, são também tocadores MP3, e softwares podem transformar qualquer e-book em audiolivro com facilidade.

Existem aqueles que resistem a novos formatos. Não acredito no término por completo do livro tradicional. Mas, o E-Reader e o E-Book, estão traçando o mesmo trajeto do formato MP3 anos atrás. No começo apenas desconfiança. Hoje, mais que realidade no mercado fonográfico fazendo com que gravadoras procurem novas formas de trabalhar dentro do mundo da música. O mesmo pode estar por vir no mercado editorial.

E aí, o que vocês acham? Vai ou não emplacar esse novo mercado editorial!?

ASSASSINARAM O TREMA!

Durante a sessão solene de celebração dos 100 anos de morte de Machado de Assis, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assina o decreto que estabelece o cronograma para a vigência do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A cerimônia acontece nesta segunda-feira (29/09) no Rio de Janeiro na Academia Brasileira de Letras.

O Acordo foi assinado em Lisboa, em 16 de dezembro de 1990, com o objetivo de “unificar” o registro escrito dos 8 países que falam português: Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor Leste, Brasil e Portugal.

No Acordo Ortográfico estão previstos o fim do trema, a supressão de consoantes mudas, novas regras para o emprego do hífen, a inclusão das letras W, K e Y ao idioma, além de novas regras de acentuação. O mesmo entra em vigor a partir de janeiro de 2009, porém, para concursos públicos, vestibulares, exames escolares e demais meios escritos, as duas normas ortográficas poderão ser usadas até dezembro de 2012.

O Ministério da Educação acredita que com a medida o intercâmbio cultural e científico entre os países aumentará e, também, a divulgação do idioma e da literatura em língua portuguesa.

O assunto tem causado polêmica. Uns prezam que é uma necessidade de um mundo globalizado, enquanto outros acham que as divergências existentes hoje nas gramáticas dos países de língua portuguesa nunca foi empecilho para o entendimento e intercâmbio entre os mesmos.

Evanildo Bechara, gramático e imortal da Academia Brasileira de Letras, disse: “Em organismos como a ONU, nada é publicado em português justamente porque o idioma possui duas grafias. E isso acaba sendo prejudicial para divulgação da língua.”

Concordo com ele. Acho interessante essa “unificação”, e acredito que vá ser muito benéfico  para todos os países de língua  portuguesa. Assim como é com a língua Inglesa em todos os países que possuem este idioma como língua nativa.